sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Como melhorar sua memória permanentemente

(Gostou do artigo? Deixe seu comentário! Quem sabe conseguimos criar um debate interessante sobre esse tema?)

Você provavelmente já ouviu algum comentário preconceituoso acerca de cursos de memorização.

“Prefiro entender a memorizar”
“Oras, de que me adianta memorizar listas de objetos ou longas sequências de dígitos? Quero é memorizar leis e conceitos!”
“O curso era pura enganação! Não ensinaram como ler e memorizar tudo o que leio”.
“Cursos de memorização ensinam apenas truques que não possuem qualquer aplicabilidade prática”.

Esses comentários se originam de certo desconhecimento acerca da memória e de seu funcionamento. Veja a seguir como a memória funciona e os principais mitos envolvendo a memorização.

Memória não é uma coisa

As pessoas frequentemente falam de suas memórias como se a memória fosse uma parte de nosso corpo. É comum as pessoas dizerem que possuem uma boa ou má memória da mesma maneira que dizem que possuem bons dentes, bom coração ou bons rins. É comum dizerem que sua memória anda falhando com a mesma propriedade que são capazes de dizer que suas vistas andam falhando.

Ao contrário do que pensa o imaginário popular, a memória não pode ser identificada da mesma maneira que um órgão ou glandula de nosso corpo. Aquilo que chamamos de memória é, na verdade, dezenas de processos completamente diferentes. Por exemplo, imagine um campeão de xadrez. Certamente, ele possui ótima memória para guardar inúmeras jogadas e estratégias de xadrez. No entanto, possuir uma boa memória para o xadrez não é garantia que se tenha também uma boa memória para diversas outras atividades como lembrar-se de nomes, rostos, datas, a lista de compras do supermercado ou até mesmo o que almoçaram ontem. Você certamente conhece um professor bastante inteligente e extremamente “esquecido”. Oras, se esse professor é capaz de dominar o assunto que leciona, memorizando diversos fatos e conceitos, ele deveria ter uma boa memória em outros contextos.

Assim, aquilo que chamamos de memória é um processo complexo formado por diversos subsistemas específicos.

Não existe um segredo para uma super-memória

Creio que de todos os e-mails que recebo diariamente solicitando dicas de memória, um tipo é o mais recorrente: “Qual o segredo para uma super-memória?”. Ao me assistirem realizando proezas envolvendo a memória na TV, surge a expectativa de que eu guarde um segredo único e capaz de tornar a memória de qualquer pessoa em uma memória fotográfica. Assim, imaginam que, de posse desse segredo, serão capazes de se memorizar conceitos, fórmulas, leis ou qualquer coisa que se deseja, com uma memória perfeita.

Infelizmente, essa expectativa jamais será alcançada. Imagine que você é um professor da escola básica que ensinará a seus alunos como utilizar cada item de seu material escolar. Inicialmente, você apresenta a seus alunos uma cola e lhes ensina as diversas coisas que uma cola é capaz de colar. Em seguida, um dos alunos lhe pergunta: “Entendi que a cola serve pra colar, mas como utilizá-la para cortar o papel?”. Após ouvir atentamente a pergunta, você explicaria que a cola serve apenas para colar. Caso alguém necessite de cortar papel, é necessário utilizar um instrumento chamado tesoura. Assim, não existe algum componente do material escolar capaz de colar, cortar, escrever e apagar. Cada item tem um uso particular em cada contexto.

O mesmo acontece com a memória. Não existe uma estratégia ou segredo capaz de resolver todos seus problemas envolvendo sua memória. Se você deseja melhorar sua memória para nomes e rostos, será preciso utilizar um conjunto de estratégias. No entanto, se você desejar se lembrar de leis e artigos da constituição, as estratégias serão completamente diferentes. Assim, para cada tipo de atividade, será preciso uma estratégia completamente diferente. Veja alguns exemplos:

• Qual a estrutura do texto a ser memorizado? Por exemplo, memorizar dados arbitrários ou um artigo de opinião não requerem as mesmas estratégias.
• Quem utilizará a técnica? Por exemplo, um professor de física e um aluno utilizarão estratégias completamente diferentes para conseguir estudar um novo livro de física.
• Como a memória será avaliada? Por exemplo, uma tarefa de simples reconhecimento talvez requeira uma estratégia diferente de uma tarefa de evocação.
• Qual o uso que se fará com os dados memorizados? Por exemplo, memorizar a lista de presidentes do Brasil não é o mesmo que saber relacioná-los aos seus respectivos contextos históricos.
• Qual a maneira como se deseja memorizar o texto? Por exemplo, para memorizar poesias ou salmos da Bíblia, é importante memorizarmos ipsis literis (na íntegra, palavra por palavra). Em contrapartida, para outros tipos de textos, basta saber os conceitos e palavras chave do assunto.
• Por quanto tempo se deseja armazenar o assunto? Suponha que você deseja memorizar um número de telefone apenas para ser capaz de realizar uma ligação. Nesse caso, talvez não seja necessário utilizar uma estratégia muito eficiente. No entanto, se seu desejo for memorizar o número pelo maior tempo o possível, será necessário utilizar uma estratégia específica.
Assim, para cada tipo de contexto é preciso utilizar um método específico de memorização.
Mnemônica não é mágica

Ao assistirmos a propagandas de diversos cursos e livros de memorização, temos a impressão de que essas técnicas de memória são capazes de tornar a memorização em algo extremamente fácil e espontâneo. Isso não é verdade. Geralmente, as técnicas de memória requerem ainda mais esforço que os métodos tradicionais. No entanto, ao utilizar técnicas de memória, os resultados obtidos costumam ser mais duradouros.

Algumas pessoas acreditam que uma pessoa inteligente (alguém com alto QI) é capaz de memorizar mais facilmente que uma outra pessoa menos inteligente (alguém com baixo QI). É verdade que existem certas relações entre memória e inteligência. Por exemplo, imagine que um teste de memória é aplicado a dois grupos: um compost por pessoas de alto QI e outro por pessoas de baixo QI. Caso nenhum desses dois grupos tenha participado de qualquer treinamento de memória em toda sua vida, o grupo de alto QI certamente conseguiria uma pontuação maio. Uma explicação para isso é a de que pessoas inteligentes costumam criar e utilizar técnicas de memória mais frequentemente.

Pesquisas mostram que bons alunos mostram mais iniciativa para utilizar e criar técnicas eficientes de aprendizagem se comparados com alunos com histórico de fracasso escolar. No entanto, se um grupo de indivíduos com alto QI fosse comparado com outro grupo, composto por pessoas de QI normal, mas mais baixo do que o primeiro grupo, o grupo com QI menor conseguiria melhores resultados. Além disso, uma pesquisa realizada com os oito primeiro colocados no campeonato mundial de 1993 identificou que eles perdiam sua habilidade excepcional de memorização quando solicitados a memorizar informações para as quais eles não possuíam uma estratégia específica de memória. Por exemplo, os campeões de memória não tiveram um desempenho excepcional ao tentar memorizar o formato de flocos de neve vistos em um microscópio . Assim, ao contrário do que se imagina a capacidade de lembrar-se é uma habilidade aprendida e não inata.

Desse modo, o desenvolvimento da memória é equivalente ao desenvolvimento de qualquer outra habilidade. Da mesma maneira que ninguém nasce um gênio da música ou um campeão de tênis, ninguém nasce com boas habilidades em memorizar. Obviamente, existem pessoas que nascem com um talento em potencial para determinadas atividades. No entanto, se não tiverem algum processo de aprendizagem (mesmo que auto-didata), não serão capazes de desenvolver tal talento. O mesmo vale para a memória: se você não desenvolver estratégias específicas para cada domínio de memória, você nunca terá uma boa memória.

Muitas pessoas não entendem isso e, quando descobrem que uma boa memória requer prática, simplesmente desistem. Infelizmente, diversos “professores” de memorização de técnicas de estudo utilizam o seguinte slogan: “Nosso curso não requer treinamento em casa”. Esse tipo de propaganda apenas alimenta esse imaginário popular, visto que é impossível melhorar sua memória sem o mínimo de esforço para o uso das diversas estratégias em cada contexto específico.

Se você deseja beneficiar-se dos diversos sistemas e princípios abordados nesse blog, prepare-se para dedicar-se! Como dizem nos Estados Unidos: não existe almoço grátis!

34 comentários:

Elisandro Borges disse...

Alberto, parabéns, cara... você é um gênio. E é um orgulho ter uma personalidade como vc em nosso país. Sem contar com sua humildade em compartilhar com a gente um conhecimento tão pivilegiado e fantástico.

Grande abraço.
E sucesso sempre.

solange disse...

gostei muito Alberto, das sua palavras, pois me serviram de conselhos, não sabia o que fazer para memorizar um assunto de prova, e agora irei fazer com vc disse, focar apenas em um assunto. foi o que entendi!

um grande abraço,seja sempre assim, humuilde.

Airton disse...

Parabéns pelo ótimo texto!
Continue assim!

Att. Airton

Alberto Dell'Isola disse...

Obrigado a todos pelos comentários!

Espero que consiga postar mais algum texto nesse feriado!

Boas festas a todos!

Moacir disse...

Alberto, eu gostei muito de sua apresentação na tv. Mais ainda de sua simplicidade. Obrigado por estas informações valiosas.

Alberto Dell'Isola disse...

Moacir, obrigado! Espero que todos vocês continuem acompanhando o blog diariamente - senão, vou acabar cansando! hehe

Gustavo K disse...

Muito bom.. gostei do texto.

Parabens pela disposição que vc tem em ensinar e passar adiante o conhecimento que adquiriu.

Que D'us lhe abencoe.

Alberto Dell'Isola disse...

Gustavo: espero que continue visitando o blog e deixando comentários sobre as postagens! Abraços!

Ronaldo disse...

Parabéns pelo blog e pela memória. Eu já fiz diversos cursos de mnemônica e você me ajudou mais com um simples comentário do que os cursos inteiros. Nunca tinha ouvido falar em gatilho de memória, sempre que uso um gatilho de memória lembro exatamente do que quero lembrar e na hora em que devo lembrar. Outra coisa é quanto ao QI, você não acha que memória e QI estão diretamente relacionadas? Mesmo que o indivíduo tenha uma memória específica e utilize inconscientemente alguns gatilhos, sem uma boa memória não existe a possibilidade de sequer fazer um teste que avalie o QI do mesmo.

Alberto Dell'Isola disse...

Ronaldo, agradeço os elogios! Como disse anteriormente, enquanto tiver gente lendo o que escrevo, continuo escrevendo!

Sobre os cursos de memorização: entendo sua crítica. Geralmente, eles são ministrados por pessoas que possui uma única qualificação: terem feito um curso similar ao que ministram. Ou seja, criou-se uma indústria de cursos que "capacitam" pessoas a ministrarem o mesmo curso. Uma pena.

Sobre memória e QI: existe relação entre memória e QI sim. A relação é a seguinte: pessoas com alto QI costumam criar espontaneamente técnicas de memória.

No entanto, essa relação pode sumir com o treinamento. Pessoas de QI normal, mas não tão brilhantes, podem aprender "artificialmente" as técnicas e ficarem com memória ainda melhor que os de alto QI, caso eles não treinem.

Espero ter respondido sua pergunta!

Abraços!

evelize regina disse...

Ola, Alberto gostei muito do seu blog achei muito interessante e proveitoso.
Mas afinal, as técnicas de memorização funcionam ou não?(caso a pessoa realmente queira aprender e se esforce para isso?)...
Eu por exemplo estou precisando muito este ano saber como memorizar varios tipos de matérias,paraque no fim do ano posso ir bem nos vestibulares e Enem.Ja que vc dise que para cada fim se utiliza uma técninca como seria então a técnica para memorização de aprendizagem para estudos escolares?!.
se puder me responder também por e-mail, agradeço.
(email: eve.re.ser@hotmail.com )

evelize regina disse...

Ola, Alberto gostei muito do seu blog achei muito interessante e proveitoso.
Mas afinal, as técnicas de memorização funcionam ou não?(caso a pessoa realmente queira aprender e se esforce para isso?)...
Eu por exemplo estou precisando muito este ano saber como memorizar varios tipos de matérias,paraque no fim do ano posso ir bem nos vestibulares e Enem.Ja que vc dise que para cada fim se utiliza uma técninca como seria então a técnica para memorização de aprendizagem para estudos escolares?!.
se puder me responder também por e-mail, agradeço.
(email: eve.re.ser@hotmail.com )

Jean de Oliveira Santos disse...

Boa Noite, Alberto. Quero, primeiramente, dizer que achei muito boa a sua explicação sobre capacitação mnemônica. Muito esclarecedora, de fato!

No seu artigo, você disse que trabalhar a memória é um processo gradativo, que requer trabalho e que, para cada assunto, utiliza-se uma estratégia diferente. Pergunto eu: Se eu quisesse obter uma memória fotográfica (ou algo similar a isso), existe algum tipo de treinamento ou remédio estimulatório que me leve a esse resultado??

Além disso, você disse que pessoas ministram cursos que apenas capacitam outras pessoas a ministrar cursos de igual qualidade, sem, no entanto, aumentar, de forma produtiva, a capacidade Mnemônica. Pergunto eu: Qual a diferença entre estes livros tutoriais que você critica e os seus livros tutoriais??

se possível, gostaria que você me enviasse, também, a resposta por e-mail... jean.de.oliveira.santos@gmail.com)

Muito obrigado, desde já,
Jean de Oliveira Santos.

Anônimo disse...

ola Alberto parabens tenho 64 anos e estou fazendo curso de montagem e manutenção de computadores mais é muito dificil memorizar tantas informações me ajude por favor me de umas dicas mande a resposta por email susibochi@hotmail.com serei muito grata um grande abraço.

Artur disse...

Curti o texto, parabéns!

Pedro disse...

Conheci o blog a pouco tempo e já virei fan.

Não importa! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Não importa! disse...

Obrigado por compartilha estas informações valosas conosco, acredito que terá grandes resultados e nos beneficiará para o resto de nossas vidas. Continue assim que você ajudará muitas pessoas futuramente.

Agora só basta eu conhecer as técnicas de memorização para poder começar a praticar e não me esquecer do que li nos texto, assim como este que já esqueci alguns detalhes.

Não importa! disse...

Obrigado por compartilha estas informações valosas conosco, acredito que terá grandes resultados e nos beneficiará para o resto de nossas vidas. Continue assim que você ajudará muitas pessoas futuramente.

Agora só basta eu conhecer as técnicas de memorização para poder começar a praticar e não me esquecer do que li nos texto, assim como este que já esqueci alguns detalhes.

Rafael disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rafael disse...

Alberto, sempre gostei de pesquisar e ler sobre memória e processos mnemônicos. Nunca gozei de ser superficial em nada, inclusive em assuntos do campo intelectual. Desejo muito conhecer exercícios, tarefas, passos, enfim, tudo o que fizer parte do "caminho das pedras" e que me leve a ter uma memória melhor. Se tu puderes me mandar um email com o(s) local(is) nos quais eu posso encontrar tais informações, agradeço desde ontem! rafaelbottentuit@live.com

memorizaçao disse...

Adorei gostaria de ter mais informaçoes.

Saneva Oliveira disse...

Olá Alberto...
Quando criança eu era frequentemente solicitada para fazer discursos e apresentaçoes, tinha uma facilidade de memorização incrível, mas com o passar do tempo perdi essa habilidade, atualmente não consigo memorizar coisas simples como números de telefone e nomes de pessoas...
Me ajuda por favor!!

Saneva Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
WylL disse...

Acredito que a memorização é como correr, quanto mais você pratica por dia mais longe você consegue andar.

tácio rogério disse...

Alberto...gostei muito dos comentários, se quiser me indicar algum livro que venha aperfeiçoar mais minha memória eu agradeço.

tácio rogério disse...

Alberto...gostei muito dos comentários, se quiser me indicar algum livro que venha aperfeiçoar mais minha memória eu agradeço.

Jeferson Medeiros disse...

alberto! gostaria de saber o que eu posso fazer pra expandir meu mapa mental sem fugir do contexto que uso, consigo memorizar uma sequencia de 130 a 140 cartas no maximo, porque é o que meu mapa mental alcança na minha memoria da escola, pensei em utilizar outros mapas quando um acabasse porem sem sucesso! Depois disso comecei a interagir uma carta(personagem) com a outra obtive sucesso, porem com maior dificuldade. quando você memoriza você utiliza apenas um mapa mental ou varios mapas mentais? digamos que vá memorizar um baralho, por exemplo. quantos mapas deve-se usar? alguma dica? Parabens!!

Megaman zero disse...

Ensina a aumentar o QI!

Julio Cesar Silva disse...

Olá, boa tarde!
Li sua matéria e realmente acho que temos mais facilidades para gravar algumas coisas do que outras, eu por exemplo nunca gostei de matemática e suas formulas, porém reconheço que neste exato momento preciso muito dela.
o fato é que eu iniciei um curso de formação de pilotos e tenho que estar pronto para a prova em apenas 4 meses. Como memorizar o conteúdo de 6 matérias em apenas 4 meses?
Matérias como METEOROLOGIA, TEORIA DE VOO, REGULAMENTOS, MECANICA, ETC..
ME AJUDE POIS ESSES ESTUDO NÃO SÓ SERVIRAM PARA PASSAR NA PROVA MAS É UMA BAGAGEM PARA A VIDA TODA!!!!
MUIIIIIIIIIITO OBRIGADO DESDE JÁ.

Inglês Emanuel Gondim disse...

Olá Alberto! Fiquei muito interessado na sua matéria sobre a diferença entre memória e entendimento. Não posso dizer que tenho um problema, está mais para um presente, pois me considero sortudo por poussuir uma boa memória. O problema é que gostaria de fazer um melhor uso dela. Desde pequeno teno uma grande facilidade em memorizar todo tipo de conteúdo relacionado a filmes de televisão. Consiguo lembrar dos atores do conteúdo do filme, das falas, etc. O problema é que esse tipo de lembrança não significa nada nos dia de hoje. Seria muito melhor se eu conseguisse lembrar do conteúdo de um livro qualquer objetivando responder as questões de uma prova entende. Queria saber se posso expandir essa minha memória ou talvez focalizá-la para outro prppósito além de simplesmente lembrar de conteúdos inúteis de filmes. Se puder me dar uma dica eu ficaria muito grato. Pois sinto que possuo um dom, mas não sei como utilizá-lo. Obg!

emanuel da rocha silva disse...

Exelente!

May Alencar disse...

Como utilizar esse gatilho da memória? Onde encontro mais sobre tala assunto? abraço na medida... adorei o texto

Unknown disse...

Fenomenal!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...